Home » Entrevistas » Unidades Básicas de Saúde

11
mai

Unidades Básicas de Saúde

Postado por Fono em Pratica em 11 de maio de 2010

Fonoaudióloga: Roberta Rangel – CRFa 1765/MG

1.  Quando e como ocorreu a inserção do Fonoaudiólogo nas Políticas Públicas em Belo Horizonte?

“Em Belo Horizonte, tivemos a inserção de Fonoaudiólogos em 1994, através do primeiro concurso público realizado pela Secretaria Municipal de Saúde. Nesta época foram nomeados 14 Fonoaudiólogos para os seguintes serviços de saúde: compor as Equipes de Saúde Mental, de Atendimento à Saúde da Criança e do Hospital Municipal Odilon Behrens; implantar o Serviço de Diagnóstico Audiológico e o Serviço de Saúde Vocal do Professor Municipal. A partir de então, houve a ampliação dos Fonoaudiólogos na rede SUS-BH mediante a realização de outros concursos públicos para atuarem em outros serviços e incrementarem equipes já existentes.”

2. Quais as competências do Fonoaudiólogo na Saúde Pública?

“Compete ao Fonoaudiólogo atuar na avaliação, pesquisa, diagnóstico, prevenção e tratamento das patologias que afetam a comunicação e conseqüentemente a qualidade de vida dos indivíduos que possuem problemas relacionados à voz, motricidade oral (fala e deglutição), linguagem e audição. Visa à melhoria e à reabilitação do indivíduo, buscando sua inserção e integração na comunidade lingüística onde vive, elevando sua auto-estima, bem-estar e favorecendo sua capacidade produtiva e melhor qualidade de vida.

As ações do Fonoaudiólogo devem ser integradas e articuladas às ações dos outros profissionais da equipe e condizentes com o Serviço de Saúde em que está inserido, de acordo com as diretrizes estabelecidas pelos programas e políticas públicas pertinentes.”

3. Na área da Saúde Pública, em quais locais o Fonoaudiólogo atua?

“Na Saúde Pública, o Fonoaudiólogo pode atuar em três frentes: como um trabalhador de saúde, como gestor e como usuário do SUS.

Como trabalhador de saúde, ele atua em todos os níveis da rede assistencial: na Atenção Primária em Saúde, vinculados aos Núcleos de Apoio à Saúde da Família; na Atenção Especializada, como é o caso dos Centros de Reabilitação e na Atenção Hospitalar.

Pode atuar também na área da gestão, com a elaboração, implantação, avaliação e acompanhamento de políticas públicas; assim como em funções de regulação e gerenciais. E como usuário e também profissional deve atuar ativamente como cidadão no controle social.”

4. Como é a atuação do Fonoaudiólogo nos Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF) e nas Equipes de Saúde da Família (ESF)?

“O NASF foi criado pelo Ministério da Saúde com o principal objetivo de apoiar a inserção da Estratégia de Saúde da Família na rede de serviços, além de ampliar a abrangência e o escopo das ações da Atenção Primária, aumentando sua resolutividade e reforçando os processos de territorialização e regionalização em saúde.

É constituído por uma equipe multiprofissional, na qual profissionais de diferentes áreas de conhecimento atuam em conjunto com os profissionais das equipes de Saúde da Família, compartilhando e apoiando as práticas em saúde nos territórios sob responsabilidade das equipes de SF.

O Fonoaudiólogo é essencial integrante na equipe do NASF, já que tem importante atuação nas ações de promoção, prevenção e reabilitação dos diversos aspectos relacionados à comunicação humana, a fim de manter e/ou melhorar as condições de saúde da população.

Deve atuar dentro das diretrizes relativas à Atenção Primária em Saúde, a saber: ação interdisciplinar e intersetorial; educação permanente em saúde dos profissionais e da população; integralidade; desenvolvimento da noção de território; participação social, educação popular; promoção da saúde e humanização.”

5. O que é necessário para trabalhar nessa área?

“Para se trabalhar no NASF é necessário que o Fonoaudiólogo tenha um conhecimento técnico em todas as áreas da Fonoaudiologia, ou seja, deve ser um “geralista”, já que atuar na Atenção Primária requer ações de promoção, prevenção e reabilitação para toda a população de um determinado território, o que abrange todos os ciclos de vida e condições de sáude com complexidades variadas. Além do conhecimento técnico, é necessário ser um profissional pró-ativo, dinâmico, que saiba atuar em equipe e com grupos populacionais, comprometido, responsável, receptivo a novas aprendizagens e que tenha muita motivação para estar sempre estudando e se atualizando.”

MINI-CURRÍCULO: Roberta Rangel – CRFa 1765/MG

Formação acadêmica


Graduação em 1998 pelas Faculdades Metodistas Integradas Izabela Hendrix, Belo Horizonte.

Atuação profissional

Vínculo institucional atual: profissional efetiva da Prefeitura Municipal de Saúde de Belo Horizonte (SMSA-BH) desde 2002.

Cargo atual: Referência Técnica da Coordenação de Reabilitação – Gerência de Assistência da SMSA

Outros cargos e funções na SMSA:

  • Gerente de Atenção à Saúde do Distrito Sanitário Norte.
  • Coordenadora do Núcleo de Apoio em Reabilitação do Distrito Norte (atual NASF-Norte)
  • Fonoaudióloga dos seguintes serviços de saúde:
  • Equipe complementar de saúde mental da regional leste
  • Serviço de Diagnóstico Audiológico
  • Centro de Reabilitação (CREAB)
  • Setor de Fonoaudiologia da Gerência de Saúde do Servidor e Perícia

Membro efetivo do Conselho Regional de Fonoaudiologia 6ª Região – gestão atual


Considerações do grupo

Através desta entrevista é possível perceber como tem sido grande o esforço do profissional fonoaudiólogo em atuar na saúde pública em nosso país. É importante ressaltar que o NASF abriu as portas para essa profissão e é através dele que a Fonoaudiologia passa a fazer parte do contexto e realidade da vida da população, que em sua grande maioria é usuária do SUS e agora pode contar com mais este serviço voltado à prevenção, tratamento e promoção da saúde.


Sobre o autor:

Criado por grupo Fono em Prática

Comentarios


↑ Ir Para Topo Da Página

3 Comentários para Unidades Básicas de Saúde

  1. adorei!!! disse:

    Ainda há muito para se fazer na Saúde Coletiva, mas já começamos!!!!!!!

  2. Mariane Gomes disse:

    Parabéns pelo site!!! Informação para todos. Excelente iniciativa!!

  3. Letícia Rossi Peixoto disse:

    Gostei muito deste site, pois estou iniciando na equipe do Nasf da minha cidade e tenho me empenhado bastante para saber sobre a nossa atuação junto a esse serviço. Agradeço a colaboração por informações tão valiosas!!!

Deixe um comentário

Nome (obrigatório)

E-mail (Não sera publicado) (obrigatório)

Site

Mensagem